segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Amigo é coisa...


Porque ele é seu amigo
se diz amigo...

Nas entrelinhas ele te rouba aquilo
nas histórias ele te esquece
quando não ele emputece
diz que já foi esquecido.

Ele diz que é seu amigo?
se chamar amigo, ele olha?
se disser amigo, ele cola?
se pedir amigo, ele vem?
porque se pedir eu já fui
se olhar eu já sou.
se quiser eu estou.
se contar, você tem.

Amigo é pra quem precisa ter
e não se precisa chamar,
é o que se precisa ter
e não se precisa pagar,
é quem se precisa ser
e quem se precisa amar

É dar a mão, dar um beijo, abraçar,
é dar cascudo, puxar cabelo, amassar
e aquele que não sabe ser, eu digo, esse nunca será
nada o impede de ter, mas de carcaça ninguém vive a aturar.


6 comentários

domingo, 25 de janeiro de 2009

Escolhas

A minha vida não é ruim, afirmo isso outra vez para que não pareça ingrato, mas houve um momento em que precisei fazer escolhas. Eu tive que escolher entre ter um emprego seguro, "bom", e ser "supostamente" livre. Escolhi estar trabalhando nos finais de semana, feriados, aniversários de pessoas queridas, nos dias de reuniões de amigos, em troca de alguns trocados e uma segurança. Escolhi ter que voltar cedo, estar sempre olhando a retaguarda, andar atento, temeroso, por uma ascensão social. Escolhi não poder deixar cabelo grande, penteados legais, barba por fazer. Meu sonho era ser descolado, cabeludo, barbado, hippie, vendendor de sanduíche natural em Itacaré, fotógrafo. Eu escolhi esse mundo.

Quando fiz as minhas escolhas, precisei me afastar dos amigos, aprender a esperar a sexta-feira chegar com mais parcimônia, a não estar tão presente na vida das pessoas que eu gosto, talvez temporariamente, mas ainda assim difícil. Não me arrependo do que escolhi, não é isso, mas sei que poderia ter tido outro caminho.

Logo quando cheguei ao novo mundo, um antigo morador do lugar me disse: "Lembrem-se senhores, muitas vezes deixarão de estar com quem amam pra estar aqui, e não esqueçam que é muito mais frustante eles do que pra vocês, quando os senhores precisarem desmarcar compromissos, dizer que não podem ir, que estarão trabalhando, ou não.". Fiz dessa frase lema. Tentei com todas as forças, fiz de tudo, pra estar o mais próximo possível, pra não precisar desmarcar nada, pra ser presente. Eu sei que falhei, muitas vezes.

Puxei conversas sem sentido, perguntei de coisas que já sabia. Menti, inventei artes, fugi, permutei serviço, fiquei acordado até tarde, saí de virote, deixei de estudar, mas sempre tentando o melhor.

Eu fui ao mundo, pra que não deixasse nada morrer. Eu fui ao mundo de vocês.

Não sei quando começou, mas estou cansando. Não sei o que aconteceu, mas agora eu os espero no meu mundo. Cansei, mas estou bem, com todos vocês.

Vocês sabem.

"Em paz eu digo que eu sou
O antigo do que vai adiante
Sem mais eu fico onde estou
Prefiro continuar distante..."


6 comentários

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Mochila





Ela, com seus passos curtos, braçadas naturais, costuma ser meio desatenta, mas tem a atenção de muitos. Ela, que é natural, de cabelos soltos, andar meio que empinado e mãos ocupadas. Ela, que vem de longe, e nem de perto parece querer parar de chegar. Que traz na bagagem ninguém sabe o quê, mas que faz feliz, que é doce, que faz bem. Ela, que chega, abre a mochila, espanta a tristeza e entrega alegria. Ela, que nunca quer ir, mas quando chega, já tem que sair.

Beirut - A Sunday Smile

All I want is the best for our lives my dear,
and you know my wishes are sincere.
Whats to say for the days I cannot bare.

A Sunday smile you wore it for a while.
A Sunday mile we paused and sang.
A Sunday smile you wore it for a while.
A Sunday mile we paused and sang.
A Sunday smile and we felt true.


4 comentários

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Desconsolado




Cascadura é uma banda Soteropolitana.

Desconsolado
by Cascadura


Deus é o Amor, filho
E o Amor é um deus que me basta
É o que nos tem valido
No curso de uma trilha amarga

Mas há um deus que muitos tentam me vender e que não nos conduz
Justo porque quase nunca ele nos vê, cego com a própria luz

Como acreditar nisso
Que castra, que pune e mata
Homens são homens, filho
São homens e são mais nada
Propõem ao desvalido que o seu sofrer
Seja o passe da sua salvação
Um deus de medo e castigo
E o medo pra mim é a danação


2 comentários

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Simetria



Ela dobra os braços, deita sobre eles. Ela encolhe o pescoço e encaixa o queixo sobre o meu ombro. Ela fecha os olhos e encosta seu nariz no meu pescoço. A mão que lhe sobra me passa sobre o peito.

Já chamaram de simetria, sintonia. Disseram sermos feitos um pro outro. Aaaah, nos encaixamos porque nos queremos. E não me falem de simetria, porque simetricas são, essas sim, as asas da minha borboleta, que agora sabe cantar.


3 comentários

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

50.

Sim. Sim. Claro que quero namorar com você.
Essa foi a resposta dela.


Durante algum tempo, tem quem diga que seja pouco, senti as coisas se tornarem mais bonitas. Partilhei um sentimento, doei um coração e recebi outro.
Esperei a hora certa de fazer e dizer certas coisas, de fazer outros planos. Ao meu lado com uma certa urgência de viver, estava você. Me encantei, nos encantamos. Me apaixonei, nos apaixonamos. Comecei a jogar fora rótulos, paradigmas, conceitos pré-estabelecidos desde que você chegou no meu jardim.

É engraçado como nossos olhos conversam e do brilho que eles possuem. É forte quando seguramos a mão um do outro, como se elas falassem que não vamos nos abandonar. Como se nossos corpos gritassem que isso vai continuar.
Eu fico a te olhar, anjo. E você é tão lindo, minha paz, meu porto. Tenho observado caminhos que ainda não pisei, caminhos que ainda estão sendo traçados, modelados,mas que já esperam por você. Sente vontade de sua presença, de sua luz, da sua vitalidade. Sempre que eu sorrio ao seu lado, sei que é você o responsável pelas cores vibrantes que minha vida adquiriu. É o dono do melhor toque que eu já senti. Do brusco ao delicado. Um dia longe é motivo de saudade sufocante. É, eu me acostumo rapidamente com as coisas boas.

Sinto um contentamento sem medida quando me abraça e sussura no meu ouvido palavras que só você sabe dizer, do jeito seu. Atè então, não havia pousado ao meu lado um cara tão sensível que ao falar, me faz sentir.
Em cada movimento que faço nos seus braços, sou mais mulher. Cada beijo que recebo, fico mais segura. O tempo sempre diz as verdades, assim está sendo conosco. Ele ainda irá trazer boas e intensas surpresas para o nosso jardim.

O ano começou anunciando muito amor e confiança. Amor que a gente sente quando fala, que toca. Faz de mim pedaço seu.

Sim, sou sua namorada. É amor. ( Daquele que tira um pedaço )


Essa é a postagem 50. A minha resposta para a sua postagem 100 no meu blog. E te dizer essas coisas não poderia chegar em hora melhor. =)


8 comentários


Daniel, 22 anos, libriano de carne, osso e acordes. Começa a escrever quando acha que não se deve deixar pra trás o que sente. Geralmente está na fossa. Caso não encontre-o lá, procure-o nas nuvens. Uma mistura de "sabe-se lá o quê" com filhote de sabiá. Pois bem, não sei o que sou. "...eu costumo ser o coadjuvante da vida, de todos."


Afinidades:

- Abordagem Policial
- Essência no Ar
- Ócio Não Filosófico
- Café do Dom
- Muito Gelo
- Pensar Enlouquece
- Blitz Policial
- Nana de Souza
- Intense
- O Alcançe da Promessa
- Badengarden Reis
- Contos no Papel
- Pitta
- Max da Fonseca
- Layz Costa
- Trágico Efeito
- Naraiana Costa
- Caio Melo - Filipe Medeiros






Arquivos:

  • Abril 2008
  • Maio 2008
  • Junho 2008
  • Julho 2008
  • Agosto 2008
  • Setembro 2008
  • Outubro 2008
  • Novembro 2008
  • Dezembro 2008
  • Janeiro 2009
  • Fevereiro 2009
  • Março 2009
  • Abril 2009
  • Maio 2009
  • Junho 2009
  • Julho 2009
  • Agosto 2009
  • Janeiro 2010
  • Outubro 2010

  • © 2008 - 2009. Todos os direitos reservados. Este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.

    layout por: